Fevereiro 2010

SÁBADO, 27

19h00

JOSÉ DO CARMO FRANCISCO

apresenta o livro

 

(ed. C.M.L.)

 

JOSÉ DO CARMO FRANCISCO. Nasceu a 13 de Fevereiro de 1951 em Santa Catarina (Caldas da Rainha). Frequentou o Instituto Comercial de Lisboa e o Instituto Britânico. Foi bancário entre 1966 e 1996. É juiz social no Tribunal de Menores desde 1993. É jornalista – carteira profissional nº 4149. Colaborador das RDP-Açores desde 2002 e redactor da Revista «Ler», estreou-se no «Diário Popular» em 1978 e em «A Bola» em 1979. Foi colaborador do «Sporting» desde 1988 («As palavras em jogo») e redactor de Janeiro de 1997 a Novembro de 2006. Entre 1992 e 1996 entrevistou na revista «Bola Magazine» figuras das Artes e das Letras na rubrica «Um cafezinho com».

Colabora no mensário «Voz de Alcobaça» com a coluna «O lugar do poema» e no semanário «Gazeta das Caldas» com a rubrica semanal «Um livro por semana» e a coluna quinzenal «Estrada de Macadame». Colaborou na revista «Desporto sem Paralelo» e nos jornais «Diário Insular», «Notícias da Amadora», «O Mirante», «Diário Popular», «Diário de Lisboa», «República», «O Ponto», «Remate», «Correio dos Açores», «O Distrito de Portalegre» e nas revistas «PC Win», «Mulheres», «Revista Alentejana», «Colóquio-Letras» e «Seara Nova». Desempenhou funções na direcção da Associação Portuguesa de Escritores e é secretário da Associação Portuguesa de Críticos Literários. Organizou duas antologias para o Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas: «O Trabalho – antologia poética» e «O Desporto na Poesia Portuguesa». É co-autor do livro «Glória e vida de três gigantes» sobre o Sporting, o Benfica e o F.C.Porto, editado em 1995 por «A Bola».
É autor dos seguintes livros: «Iniciais» (1981), «Universário» (1982), «Transporte Sentimental» (1987), «Jogos Olímpicos» (1988), «1983 – Um resumo» (1991), «Leme de luz» (1993), «Mesa dos Extravagantes» (1997), «As emboscadas do esquecimento» (1999), «De súbito (2001), «Os guarda-redes morrem ao Domingo» (2002), «O Saco do Adeus» (2003), «Pedro Barbosa, Jesus Correia, Vítor Damas e outros retratos» (2005) e «Mansões Abandonadas» (2007). «Iniciais» venceu em 1980 o prémio Revelação da Associação Portuguesa de Escritores atribuído por um júri constituído por Armando Silva Carvalho, Fernando J.B. Martinho e Pedro Támen.                      
Escreveu prefácios para livros dos seguintes autores: Fernando de Azevedo, Joaquim António Emídio, Luís Filipe Maçarico, João Moutinho, Ruy Ventura, Joaquim Pessoa, Maria Eugénia Neto, Levi Condinho, Fátima Murta e Belmira Alves Besuga.
A sua obra está referida no «Dicionário de literatura» de Jacinto do Prado Coelho da Editora Figueirinhas. Poemas seus são estudados nas Universidades de Pádua e Veneza na cadeira de Literatura Portuguesa e Brasileira durante o curso monográfico «Il linguaggio del cálcio come cultura». Colaborou no «Dicionário cronológico de Autores Portugueses» do Instituto Português do Livro. No JL – Jornal de Letras de 7-12-1993 Fernando Venâncio escreveu: «E a propósito: quem, de entre os hodiernos poetas é o «nosso» Cesário, aquele fará corar para sempre esta nossa cega geração? Será ele José do Carmo Francisco, esse dum esplêndido Transporte Sentimental?» Em 2006 foi publicada uma versão da tese de mestrado de Ruy Ventura («José do Carmo Francisco - uma aproximação») nos 25 anos da sua obra poética. O Júri (Clara Rocha, Silvina Rodrigues Lopes e António Cândido Franco) atribuiu à tese («Representações da Memória e do Quotidiano na poesia de José do Carmo Francisco») a classificação de «Bom com distinção». O poema «Café contigo» está gravado num CD de José Cid. O Jornal «ABC» de 15-11-2008 dedicou-lhe uma página no seu Suplemento Cultural. Tem poemas, entrevistas e notas de leitura nos sites e blogs :
«aspirinab.com.», «triplov.com», «escritacriativa.com», «ofogareiro.blogspot.com» «alicerces1.blogspot.com», «casariodoginjal.blogspot.com», «cabradeservico.blogspot.com» e «viagenspelooeste.blogspot.com» 

 

AGENDA