Abril 2007

 

QUINTA-FEIRA, 12

21h30 - Leituras

 

FRANCISCO LUÍS PARREIRA

sobre

Padre António Vieira

foto "Artistas Unidos"

Francisco Luís Parreira

 

Doutorando em Ciências da Comunicação, na especialidade de Teoria da Cultura. Bolseiro da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Grau de Mestre na mesma especialidade, pela Universidade Nova de Lisboa. Pós graduação em Ciências Diplomáticas, pelo ISCSP. Licenciatura em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
Publicou o volume de teatro Duas Peças — Tristão e Aspecto da Flor e História do Escrivão Bartleby e o volume de poesia Manual de Jardinagem Metafísica, bem como artigos diversos na área da teoria da cultura e teoria do teatro.
Peças escritas e representadas: O Erro Humano (Teatrosfera, em co-autoria, 1999), História do Escrivão Bartleby (Artistas Unidos, 2001, também actor), Vidro (Primeiros Sintomas, em co-autoria, 2002), Tristão e Aspecto da Flor (Teatromosca, Fundação CulturSintra, 2003, encenador e actor), O Dia de Todos os Pescadores (O Meu Joelho, leitura encenada, 2005), Lilith Quinteto, História de Otelo e Três Parábolas da Possessão (peças radiofónicas, RDP Antena 2, todas em 2006, também direcção).
Para o palco ou para edição, traduziu Samuel Beckett, W. B. Yeats, Thomas Bernhard, Harold Pinter, Mark O'Rowe, Joe Orton, Sharman McDonald e José Lezama Lima.
No cinema, co-autor de três guiões para curtas metragens de ficção (Pastoral, A Cura, (ContraCosta Filmes) Assim nasceu a ilha de Timor (Prole Filmes/ Pavilhão de Timor Lorosae, Expo 98) e co-autor de dois documentários (Prole Filmes e Laboratório de Antropologia Visual da Universidade do Porto).
Na ópera, é autor do libretto Tristão, para produção do S. Luiz/ Casa da Música.
Exerceu como curador, programador cultural e conselheiro editorial.
Foi professor de Filosofia